HomeA NoiteJorge Ben Jor agita a Praia de são Francisco no Aniversário de Niterói

Jorge Ben Jor agita a Praia de são Francisco no Aniversário de Niterói

 

No mês de seu aniversário, Niterói certamente quer “torcer pela paz, pela alegria e pelo amor”. E por isso convidou, para as comemorações, o mestre do suingue Jorge Ben Jor, para um show no palco montado na Praia de São Francisco, no sábado, 23 de setembro, às 19h. Ao som de “País Tropical”, “Mas Que Nada”, “Fio Maravilha”, “W/Brasil”, “Chove Chuva”, “Que Pena”, “Jorge da Capadocia”, “Taj Mahal”, “A Banda do Zé Pretinho”, “Os Alquimistas Estão Chegando”, entre tantos outros clássicos, Jorge Ben Jor promete colocar todo mundo para cantar e dançar. No local, será montado um telão para a transmissão da final da Copa Libertadores da América.

 

Jorge Ben Jor

 

Carioca de Madureira, mas criado no Rio Comprido, Jorge Ben Jor canta de tudo. Do rock and roll, samba, bossa nova, jazz, maracatu, funk, ska e até mesmo hip hop, com letras que misturam humor e sátira, além de temas esotéricos. Sua obra tem uma importância singular para a música brasileira, por incorporar elementos novos no já reconhecido suingue brasileiro e na maneira de tocar violão, com influências árabes e africanas, oriundas de sua mãe nascida na Etiópia.

 

No início dos anos 1960, com apenas 18 anos, Jorge Ben, como era conhecido na época, apresentou-se no Beco das Garrafas, então um dos maiores redutos da Bossa Nova. Em 1963, lançou “Mas que Nada”, seu primeiro grande sucesso no Brasil e também uma das canções em língua portuguesa mais executadas nos Estados Unidos até hoje – na versão do pianista Sérgio Mendes. No mesmo ano, lançou o primeiro LP, “Samba Esquema Novo”, acompanhado pelo conjunto de samba-jazz “J. T. Meirelles e os Copa Cinco”. Logo em seguida, o artista ratificou seu talento com outro grande sucesso, “Chove Chuva”. E não parou mais.

Powered by Rock Convert

 

Desde então, foram mais de 35 álbuns, entre trabalhos de estúdio e ao vivo. “Gil & Jorge: Ogum, Xangô”, álbum duplo gravado e lançado em 1975, em parceria com Gilberto Gil, abriu as portas para um novo público. O trabalho é, hoje, visto como um clássico, contendo performances experimentalistas e minimalistas ao mesmo tempo. Em 2008, a revista Rolling Stone Brasil o nomeou o 5º maior artista da história da música brasileira.

 

A exemplo da maioria dos músicos da época, Ben Jor foi inicialmente influenciado por João Gilberto, mas, desde o início, foi bastante inovador. Seu ritmo híbrido lhe trouxe alguns problemas no início, quando a música brasileira estava dividida entre a Bossa Nova, a Jovem Guarda e o samba tradicional. Os puristas achavam que sua música era muito moderna, suas letras engajadas demais e era difícil para os músicos da época acompanhá-lo. O artista então incorporou o samba-jazz, influenciou o sambalanço e o samba-rock e criou uma obra hoje amplamente homenageada por grandes artistas das novas gerações da música brasileira.

 

E é um pouco dessa rica histórica musical que o público de Niterói terá o prazer de curtir na festa dos 446 anos da cidade.

 

SERVIÇO

Jorge Ben Jor
Data: 23 de setembro, sábado
Horário: 19h
Local: Praia de São Francisco

Post Anterior
Caso Ágatha: Delegacia de Homicídios indicia PM por homicídio doloso
Próximo Post
Terreiro do Zé faz tributo a Reinaldo, o Príncipe do Pagode, nesta quarta, 20

Sem Comentários

Escreva uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.